NOTA DE REPÚDIO

A Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-CE), entidade representativa de cerca de 300 entidades de 14 ramos profissionais, torna público seu veemente repúdio aos atos de vandalismo que impediram a realização da Assembleia Geral da Sindicato dos Profissionais de Estabelecimentos Oficiais do Ceará (Apeoc), nesta segunda-feira (27/6/16), no Ginásio Poliesportivo da Parangaba, em Fortaleza-CE.

A referida assembleia cumpria todos os requisitos estatutários do Sindicato Apeoc e discutiria os rumos da greve na rede estadual de ensino, que já dura mais de dois meses. A atividade foi suspensa minutos depois da abertura dos trabalhos, quando um grupo invadiu o ginásio e tumultuou o ato. Um portão foi quebrado e várias bombas foram estouradas. A interrupção foi necessária para resguardar a integridade física dos presentes e garantir a legalidade jurídica e institucional do evento.

Somos uma organização sindical brasileira de massas, fundada há quase 33 anos, de caráter classista, autônomo e democrático, cujo compromisso é a defesa dos interesses imediatos e históricos da classe trabalhadora. Em âmbito estadual, também representamos o Sindicato Apeoc e compreendemos que esses graves atos cometidos por uma minoria – parte dela encapuzada – são também ataques à democracia brasileira e aos interesses da categoria. Também por isso, manifestamos nossa mais profunda indignação.

Lamentamos ainda pelo fato de inúmeras delegações terem se deslocado do Interior do Estado para deliberar sobre a pauta de mobilização; e justamente numa assembleia, instância máxima de um sindicato. A CUT-CE solidariza-se com o Sindicato Apeoc e reitera o apoio irrestrito à luta dos trabalhadores em educação da rede estadual do  Ceará com o processo de negociação da greve no Estado.

Fortaleza, 28 de junho de 2016

Diretoria Executiva da CUT-CE