Professores, funcionários de escolas e estudantes da Rede Estadual de ensino realizaram na manhã desta terça-feira (14) mais um ato em defesa da Educação e da valorização do serviço público estadual. A concentração foi na Praça da Imprensa, em Fortaleza, e seguiu até a Assembleia Legislativa. Além dos profissionais da Educação e dos estudantes, o ato também contou com a participação de outros servidores estaduais, mobilizados em sindicatos e associações.

Negociação Já!

Uma comissão formada pela diretoria do Sindicato APEOC, uma estudante, uma professora, e representantes dos outros servidores públicos do Estado foi recebida pelo vice-presidente da Assembleia Legislativa, Tim Gomes, e pelo líder do Governo do Legislativo, Evandro Leitão. Os profissionais da Educação discutiram um acordo com os parlamentares para a retomada das negociações com a Secretaria da Educação do Estado, sob cinco princípios:

  • Implantação da nova carreira com efetivação da descompressão promovendo ganho remuneratório imediato, na folha de junho, para todos os professores;
  • Aumento progressivo do comprometimento dos recursos do FUNDEB para valorização do Magistério de forma negociada;
  • Reposição dos dias de greve em negociação com o Sindicato APEOC, respeitando a autonomia das escolas, sem desconto de faltas e sem reposição em julho de 2016;
  • Manutenção dos compromissos acordados referentes à pauta pedagógica e condições de trabalho, entre outras, conforme atas de negociação anteriores;
  • Celeridade na negociação da valorização dos profissionais não docentes, garantindo ganhos remuneratórios.

Durante a reunião, o líder do Governo, Evandro Leitão, telefonou para o secretário da Educação, Idilvan Alencar, e apresentou a proposta da categoria. O presidente do Sindicato APEOC, Anizio Melo, também falou com o gestor e intercedeu pelos servidores. Idilvan, porém, foi irredutível. Disse que só retoma as negociações após o fim da greve.

Mobilização e Unidade

A manifestação foi aprovada na última assembleia da Educação e fez parte das atividades da Greve Geral, iniciada no dia 25 de abril. O Sindicato APEOC convocou os demais servidores do estado para unificar a luta.

O objetivo foi denunciar à sociedade civil o descaso do Governo do Estado com o pagamento da Revisão Geral dos Servidores, em atraso desde o dia 1º de janeiro, data-base do funcionalismo público estadual. Na última semana, o governador Camilo Santana anunciou que apenas os servidores que ganham o salário mínimo estadual receberão aumento. Os demais, o que representa a grande maioria, ficará sem a revisão em 2016. O Executivo informou ainda que a negociação será por categoria.

No caso da Educação, a proposta é efetivar um aumento de 100% no valor da PVR (Parcela Variável Remuneratória), com impacto na remuneração entre 4 e 8%, abaixo da inflação de 2015, que foi de 10,67%. Essa medida não contempla alguns grupos de professores da ativa e nenhum dos aposentados. Na Assembleia do último dia 08 de junho, a categoria rejeitou a proposta.

  • APEOC
  • Twitter
  • Google+
  • Gmail